Alimentos ricos em Selênio

selênio (Se) é um micronutriente mineral com poderosa ação antioxidante, anti-inflamatória e até mesmo anticancerígena. Ele é essencial à manutenção da nossa saúde, e é necessário para o funcionamento correto do sistema antioxidante do corpo, que ajuda a reduzir os níveis de radicais livres prejudiciais. É também um co-fator necessário para a produção de um dos antioxidantes mais importantes do corpo humano, a enzima glutationa peroxidase; além de trabalhar em conjunto com a vitamina E para a manutenção de outros processos que neutralizam radicais livres. Essa poderosa ação antioxidante também faz do selênio um aliado na prevenção de vários tipos de câncer, protegendo as células contra toxinas que podem causar tumores e participando de processos que “consertam” danos causados ao DNA.

Por outro lado, a deficiência de selênio causa degeneração pancreática, sensibilidade muscular e maior tendência ao câncer. O consumo adequado de selênio, zinco e iodo está relacionado ao bom funcionamento da tireoide. Estudos mostram que a deficiência de selênio pode reduzir a conversão dos hormônios da tireóide, de T4 em T3, que é a forma mais ativa do hormônio. Pesquisas indicam que a deficiência de selênio aumenta o risco do desenvolvimento de câncer de pulmão, próstata e ovários. Já o consumo adequado está relacionado à menor risco de câncer de intestino, próstata, ovário e leucemia.

O consumo se torna ainda mais importante em casos de pessoas com histórico familiar de câncer. O selênio auxilia na prevenção.

Mas é difícil medir uma quantidade certa de selênio necessária ao corpo, uma vez que depende da idade, sexo e tamanho para descrever a dieta correta deste mineral, mas existem alimentos ricos em selênio que podem ser ingeridos normalmente e ainda contribuem para a dose diária recomendada de 10 mcg.

Alimentos que contém Selênio

  • Castanhas do pará (também conhecidas como castanhas do Brasil) – 1.500 µg
  • Gérmen de trigo – 300 µg
  • Levedo de cerveja – 260 µg
  • Rins – 250 µg
  • Fígado – 150 µg
  • Atum – 90 µg
  • Sementes de girassol – 45 µg
  • Mariscos – 40 µg
  • Lentilhas – 30 µg
  • Castanhas de caju – 30 µg

Varizes e vasinhos podem indicar deficiências nutricionais ou congestão do fígado. Reforce as doses de vitamina E, presente nas castanhas, abacate e amêndoas. Como são ricos em selênio, importante antioxidante, esses alimentos diminuem o colesterol ruim e melhoram a circulação sanguínea. Evite roupas apertadas, faça muito exercício e dê adeus ao cigarro.

Comentários

comments

Deixe um comentário